segunda-feira, 27 de abril de 2009

Cozinhando com Deuses


Esse vídeo é muito bom! Pra quem sempre se pergunta como é o work flow de um estúdio grande, aqui vai a resposta! Muitas pessoas me perguntam se é preciso saber desenhar para animar, é claro que em 2D sim, mas a resposta para o 3D é as vezes dubia. Como a gente pode ver nesse vídeo o animador fez uns testes em 2D primeiro, para visualizar sua cena, testar poses e planejar o timing. Porém são tantas as maneiras de se animar que há alguns animadores que simplesmente animam direto em 3D. Ou seja varia muito a necessidade do 2D. Porém até animadores que são super conceituados com suas técnicas 3D, como o Vitor Navone, usam o 2D como ferramenta para traduzir suas idéias em animação.

Outro detalhe que não pode passar desapercebido é a necessidade de se ter uma visão geral de como o filme vai ficar. Muitas cenas pedem uma atuação muito mais limitada uma vez que a composição final privilegiará a luz do cenário. Por isso é importante o conceito do todo, e não o animador simplesmente o animador sentar na sua mesa e animar cena atras de cena!

Um filme animado não se trata só de animação mas da combinação de cenários, cores, luz e efeitos!

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Ciclos para fazer render!


Olhem com bastante atenção para essa fantástica e cheia de maravilhosos cenários. Vocês conseguem perceber alguma coisa? Como se fosse algum tipo de De ja ví? Não você não está maluco ou sua vida não está dentro da Matrix. Esse filme feito na década de 30, assim como muitíssimos da mesma época usavam um recurso muito útil, que é o Ciclo. O ciclo nesse tipo de animação era muito usado uma vez que mantinha a animação cadenciada, já que era preciso sempre e acima de tudo manter o beat da música. Então a musica guiava a animação e esta por sua vez utilizava seus recursos como forma de interpretar o ritmo da narrativa da canção! Assim você tem uma animação "animada" ou seja os personagens sempre se movendo, marcando o ritmo da canção, economia de animação e quantidades maiores de novas produções, já que esses caras não paravam! A boa lição que ficou dessa técnica é que os animadores, ao longo dos anos, foram aprendendo a fazer animações em ciclos que passassem desapercebidas, uma vez que, se um personagem em ciclo mexe a ponta da orelha a cada 2 segundos, um shot de 10 segundos desse personagem é o bastante para toda a audiencia perceber que se trata de desenhos repetidos! Então para aqueles que querem animar usando ciclos aqui vai uma dica importantíssima! Não chamem a atenção para o ciclo, deixe ele correr naturalmente, sem nenhum tique ou overlap ou movimento secundário, já que qualquer das alternativas acima farão com que os olhos do espectador grudem no ciclo como chiclete gruda em cabelo e todo mundo vai notar que é um ciclo e o que era para ser uma animação para fazer render o tempo se transforma numa repetição tediosa!
 

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Exemplo de peso!

video
Esse vídeo é muito bom para analizarmos a questão do peso! ahah serio?! O legal desse vídeo é que mostra como o animador foi criando a tensão entre o personagem e a pedra e quanto mais ele rola, mais a pedra vai crescendo e maior o esforço que ele tem que impor contra, então ao invés de se tornar um obstáculo mais facil ao longo do tempo, o peso vai se tornando quase insuportável! É incrível como apenas algumas linhas muito bem aplicadas, conhecimento extenso de linha de ação e noção de peso fazem a magica!

How to make a baby!



Esse vídeo é muito bunitinho! A Raquel Coelho foi minha mentora no Animation Mentor e ela é uma pessoa super legal, então nada como ajudar a espalhar a felicidade dela! Ela é o marido são animadores! e esse vídeo é bem coisa de animador mesmo! demorou 9 meses pra terminar! ahaha
Parabéns Raquel!

sábado, 18 de abril de 2009

Qual foi a última vez que você sentiu aquele friozinho?


Essa sequencia aqui vem diretamente da  Bela e a Fera e não é somente um espetáculo de animação, é uma aula de anatomia e acima de tudo essa cena mostra que o animador nunca pode parar de aprender, aqui o narrador fala que o Glen Keane foi estudar os grandes artístas do renascimento para tentar buscar neles a fonte para a cena da transformação. São cenas como esta que fazem com que o artísta se supere e se torne um melhor animador. Porque as vezes é facil chegar a um certo nível de animação e estagnar lá porque você atingiu uma zona de conforto em que a maioria das cenas que você produz tem uma qualidade razoavelmente boa para passar, porém o que o artista faz, algumas vezes, é simplesmente reciclar o que ele já sabe, então suas cenas são um retalho de conhecimento com uma boa base, mas no fundo o artista não evolui mais. Então o que eu quero dizer, acho que sai um pouco do contexto mas tudo bem! O que eu quero dizer é que se o Glen Keane, pra mim um dos melhores animadores que já existiu, teve que voltar a estudar, a sentir aquele friozinho na barriga pensando em como criar algo que possivelmente nem ele mesmo sabia como resolver, isso mostra que a gente nunca pode parar de evoluir e buscar o desafio, buscar o friozinho!

O mestre e suas costeletas


Essa cena faz parte da animação O cão e a raposa, um grande clássico da Disney. Eu procurei muito por essa cena, eu tinha prometido mostrar pro pessoal do trabalho mas não achava ela por nada. Essa cena foi feita pelo Glen Keane, supervisionado por ninguem mais que Ollie Johnston, um dos Nine Old Man da Disney. Imagina ter como mentor um cara desses? Bem, não é a toa que essa foi a era de ouro da animação. Mas o interessante é ver como ele manipula o timing entre a raposa, um animal pequeno e leve, contra o timing do urso, enorme e pesado. Vejam os volumes de pele e pelo deslizando enquanto a raposa corre pelo corpo do urso. Notem a intensidade de expressão facial do urso ao ser mordido pela raposa. A antecipação mostrando surpresa e dor antes do urso ficar enfurecido. A mandibula sofrendo um drag ao ser arrastada para traz, bem no final da animação, fazendo uma deformação super importante para passar a sensação de força sem ficar nem um pouco over ou caricato. Enfim, essa cena é demais, dá pra aprender muito vendo frame a frame! 

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Quem vê um Pateta pede bis!

Eu não consegui parar de assistir esse personagem fantástico que não só é cativante pra mim como espectador mas uma aula pra como animador, então eu acho q todos os animadores de plantão vão adorar ver e dar uma analisadinha também aqui! vamos pegar uma cena, que tal a cena que começa no 1:11. Ele sai de sua casa, faz a curva e entra no ciclo de caminhada. Quando achamos que o que vai acontecer é um longo ciclo com narração em off, o personagem pára diante da roseira. Reparem no timing dele ao se abaixar. todo o corpo fica parado em uma silhueta maravilhosa, dá pra ter uma leitura exata da sua linha de ação. Reparem na hora em que ele retira a flor, movimento rapido de mão, uma longa e pausada fungada na flor, reparem na silhueta novamente e, com um rapido gesto coloca a flor na lapela.  Esses movimentos sutis de mão fazem com que o personagem fique vivo, mesmo com o corpo em moving hold! Percebam que esse estilo gestual de mãos lembra muito o que fizeram, 60 anos depois no Presto, da Pixar!


Pateta é sempre mágico de se ver!

Galera dêem uma olhada na aula de animação que é esse curta...
É fantástico ver como os conceitos de animação são assimilados,
explorados e extrapolados pra criar uma animação como essa.
Parem para analisar a questão de timing e spacing na cena em que
ele está cochilando no trem, como um bom timing faz com que uma 
cena simples e básica se transforme num momento de risada 
instantânea para a audiência!
Notem que nesse tipo de animação, o mais importante era, a cada
cena, impactar o espectador para que a todo momento a risada viesse a tona.
Um detalhe importante a ser visto é que no decorrer do curta, há varios climax,
o que faz com que você leve a animação a ter varios recomeços, marcados
sempre por cenas lentas e de pouco impacto, nas cenas seguintes se constroe
a evolução daquela mini historia, crescendo no ritmo e na intensidade das gags,
até que se chega no climax, uma cena super aguda e extrema. como no momento
em que o medidor de ondas cerebrais explode.
As cenas na sequencia desse mini climax recomeçam a construção de mais um
mini climax, iniciando com cenas lentas e menos empolgantes que servem de 
descanço emocional e apresenta ao telespectador uma nova narrativa. 
Nossa deu pra entender?! Bom acho que se vocês assistirem umas 
trocentas vezes vai dar pra entender!

Refining em 2's! parte4/4

Depois de verificar se todos os movimentos batem com a necessidade do projeto, sim isso é muito importante....de nada adianta você querer animar em full animation para uma série de tv! a gente tem que adaptar a animação de acordo com a mídia! Então chega o momento de intervalar, basicamente ajustar as curvas e não deixar nada saltando por aí, porque se tem um momento na animação 3D que a coisa pode ficar feia e desandar é exatamente na reta final! Mas aqui eu animei como faria numa animação 2D, simplesmente fiz todas as poses de intervalos na mão! É uma boa solução quando se anima em 2's! 

video

Breakdowns e afins parte3/4

Agora é hora de adicionar todos os outros breakdowns e poses que não sejam lineares entre as chaves! O segredo é pensar em  partes do corpo por vez. Nada se mexe junto e nem com o mesmo timing então é bom seguir os concelhos do Jack Estripador e ir por partes!

video

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Refining Animation parte2/4

Aqui eu adicionei os breakdowns principais, seriam os extremos da animação, que é diferente de key poses! mais pra frente eu disserto sobre o assunto! Agora dá pra ver que a cena tá tomando mais forma! Os extremos são importantíssimos para ditar o rumo da animação!
video

Bloking animation!! parte1/4

Oi pessoal! seguinte, esse testezinho que eu vou postar aqui e eu fiz ele lá no trabalho para mostrar pros animadores uma linha que a gente ia seguir, o estilo de animação que a gente ia fazer nesse projeto era animar em 2's no 3D, um esquema bem interessante, já que a série que estamos produzindo é para tv! então eu fiz desde o bloking até o polishing para mostrar como fazer passo a passo! 
Nesse primeiro bloking estão somente as posições chaves (Key poses)
video

Animação sobre minha mãe


Essa animação aqui tem um teor bem legal! Eu animei basicamente o princípio da minha vida como animador! Trata-se de uma homenagem à aquela entitade fantástica que com certeza ajudou e deu apoio a muitos animadores como eu! Valeu Mãe!